Eleição Dividida: Um militar preso, um prisioneiro solto

Foto: Divulgação

Edmilson Santana de Oliveira | Artista Plástico e Escritor | meusantana@hotmail.com

Não exatamente nessa ordem (vai que tem alguém infiltrado aqui, fazendo alguma pesquisa investigatória)… É apenas por ordem alfabética: MP (mas se isso faz lembrar Ministério Público, é mera coincidência)… Leia a íntegra.

Buteco512: O burguer nosso de cada dia

Fotos: Léo Tavares | Buteco512

 Léo Tavares | Buteco512

O Artesanal é a febre do momento. Costumo dizer que o Artesanal é o novo “Gourmet”, tudo na vida agora é artesanal isso, artesanal aquilo. Mas essa volta que a cozinha está fazendo às suas origens, contra o que é processado e industrializado, é muito melhor que a goumertização sofrida a uns anos que, em sua grande maioria, só serviu mesmo pra aumentar o preço.

 E um dos arautos dessa boa nova foi o Hambúrguer, que ganhou status de refeição, deixou de ser junkfood e passou a ser tratado com estrela do evento. Não que o “pordrão” tenha perdido espaço (até já escrevi sobre isso aqui), mas o Burguer Artesanal cresceu de maneira exponencial aqui em VDC City.

É uma vertente da cozinha que ainda muita gente não conhece. Um burguer bem feito pode sim substituir uma das 3  refeições do dia, porque não? Vamos ter proteína, carboidratos e vegetais. “Ahhhhhh, mas e a gordura? e o Bacon? e a fritura?” Estamos falando de menos sódio, menos aditivos químicos e qualidade do alimento! Fora isso é só usar o bom senso…hehe. Leia a íntegra.

Jorge Maia: Fontes, luzes e cores

Foto: BLOG DO ANDERSON

Jorge Maia | Professor e Advogado | maiajorge@yahoo.com.br

Eu era menino, e não faz muito tempo, e me lembro da fonte luminosa que existia na Praça da República, Jardim das Borboletas, no centro da cidade. Não era comum que ela funcionasse, mas em dias especiais era ligada e tínhamos alguns momentos de fascinação. Sim uma fonte luminosa fascina, em especial às crianças que se encantam com o sobe e desce das águas e procuram entender de onde vem tanta água que nunca acaba. Um fluxo constante e inalterado em que a continuidade para ser eterna. São momentos de fantasia sempre recordadas. >>>>>

Matheus Souza: 28 anos do Código de Defesa do Consumidor e direitos ainda desconhecidos

Foto: BLOG DO ANDERSON

Matheus Silva Souza | Advogado | adv.ssmatheus@gmail.com

Um dos mais importantes instrumentos normativos no ordenamento jurídico brasileiro, a saber, o Código de Defesa do Consumidor – CDC completa 28 anos de vigência no Brasil. É dizer, que no dia 11 de setembro de 1990 foi promulgada a Lei 8.078/90 que entrou em vigor no dia 11 de março de 1991, inserindo no ordenamento jurídico brasileiro uma política nacional para relações de consumo. Antes disso, os problemas no relacionamento entre consumidores e fornecedores de bens e serviços eram dirimidos pelo Código Civil, que se mostrava insuficiente para dar conta dos fenômenos cada vez mais sofisticados e dinâmicos decorrentes da moderna sociedade de consumo. >>>>>>

Haddad e Manu: irmãos de sonhos e certezas

Foto: Divulgação

José Raimundo Fontes

A política é um risco constante, como é a vida, no dizer do maior escritor brasileiro, o médico mineiro Guimarães Rosa. Ambas sempre serão encruzilhadas, estações de chegadas e partidas, de esperas, de encontros e reencontros. Venham Haddad e Manu. Vamos fazer “renascer de novo”, com Lula e todos nós, a perseverança dos nômades dos desertos do oriente, das reduções e guerras guaraníticas, dos retirantes nordestinos, dos morte vida severina, dos que caminham, mesmo quando os rumos são incertos, em busca de um lugar e de um tempo novo, nos quais os homens e mulheres sejam amigos , em que todos os dias tenham um um pouco das manhãs de domingo. >>>>>>

Jorge Maia: O Ipê amarelo da Urbis I

Foto: BLOG DO ANDERSON

Jorge Maia | Professor e Advogado | maiajorge@yahoo.com.br

Eu tenho uma relação afetiva com a Urbis I. A nossa família foi a segunda ou terceira a mudar-se para aquele conjunto habitacional. A primeira família foi do meu tio Euclides, casado com a tia Nem. Ali morei de 1972 até 1980. Com o seu elevado número de casas e com tão poucos moradores parecia uma cidade fantasma. Era longe de tudo. Não havia casas ou qualquer outro tipo de construção. Um deserto. >>>>>>

Academia do Papo: Crônica reduzida com ajuda de Fernando Sabino sobre a depreciação da política

Foto: BLOG DO ANDERSON

 Paulo Fernando de Oliveira Pires | Professor | paulopires@uesb.edu.br

Homem chega no barzinho e pede um pão com manteiga e um café com leite.
Dono do Bar responde: Não tem café com leite, só tem café.
Cliente responde: Mas na tabuleta está dizendo que tem café com leite.
Dono do bar responde: Mas hoje não tem leite porque o homem não entregou o leite.
Cliente diz: então me dá o pão com manteiga e o café com leite, sem leite.
O dono do bar traz o café (sem leite) e o pão com manteiga.
Cliente olha para a mesa ao lado e vê uma pessoa tomando coalhada e diz para o dono do bar: aquele homem está tomando coalhada. Como você fez coalhada sem leite? >>>>>>

Jorge Maia: Nesta rua não tem um Bosque

Foto: BLOG DO ANDERSON

Jorge Maia | Professor e Advogado | maiajorge@yahoo.com.br

Na minha rua não tem um bosque. Não há bosque em nenhuma das ruas da minha cidade. Para dar segurança a regra da exceção há um bosque chamado de “Bosque da Paquera”, criado pelo prefeito Nilton Gonçalves, mas que pelo pouco tempo que foi prefeito não houve a oportunidade de fixar equipamentos para a sua urbanização. Leia a íntegra.

Buteco512: Café Bauer Produtos Artesanais

 Léo Tavares | Buteco512

Sexta feira, cidade na expectativa do FIB 2018, fui visitar os amigos Naiara Café e Rudolf Bauer, que abriram sua loja física (antes era tudo encomenda só por fone): A Café Bauer. Fica ali na Alziro Prates, 77… de frente pro Nakaya.

“Afff… Mais uma cafeteria na city? Só tá perdendo pra Pague Menos!” – Calma, apesar do nome, a loja não é uma cafeteria. Café Bauer é a junção dos sobrenomes do casal (caso não tenha percebido) e a loja comercializa produtos feitos à mão, por eles e por pequenos produtores que não tem “espaço” em grandes mercados. Leia o artigo no Buteco512.

Paulo Maurício Araújo: saindo do Hospital após 78 dias

Foto: Reprodução | Facebook

Saindo do Hospital, ontem, após 78 dias de internamento em Hospitais. 13 kg a menos. Mas uma fé inquebrantável em Deus, Jesus Cristo e minha Nossa Senhora Aparecida! Não teria conseguido sem o acompanhamento Deles e de minha mulher, Monique Cunha Santos Lopes, minha querida mãe, Wanda Maria de Brito Lopes, que não me largaram um só minuto desde que a doença se manifestou, meus irmãos, tios, primos e sobrinhos, sempre ligados, e aos milhares de amigos, os que puderam estar presentes em algum momento e àqueles que deslocaram seu pensamento e orações para mim, mesmo distantes fisicamente. Amo todos vocês! Me Recuperando. Um dia de cada vez. Beijo no coração!

Paulo Maurício Lopes de Araújo Araújo, São Paulo, em 27 de agosto de 2018.

Jorge Maia: Se esta rua fosse minha

Foto: BLOG DO ANDERSON

Jorge Maia | Professor e Advogado | maiajorge@yahoo.com.br

Uma canção de ninar, para uns, e uma declaração de amor para os apaixonados. Todos nós a conhecemos e em algum momento da vida a cantarolamos. Às vezes para embalar o sono dos filhos, em outros momentos para declarar o nosso amor. Já a cantei para os meus filhos, hoje a canto para os meus netos. A simplicidade e o lirismo dos versos nos embalam em certa inocência. >>>>>>

Academia do Papo: É melhor viver do que ser feliz…

Foto: BLOG DO ANDERSON

 Paulo Fernando de Oliveira Pires | Professor | paulopires@uesb.edu.br

De passagem pela Galeria Joaquim Correia, encontrei casualmente meu amigo Renê Barabadá. Ali mesmo, na calçada, em frente ao Terminal, o homem parecia estar aflito pra conversar urgentemente com alguém (e nesse caso, o sujeito sorteado parecia ser eu). Examinei-o em fração de segundos e notei que o seu semblante não era dos melhores. Em vista disso, fiz cara de compungido e demonstrei estar a fim de ouvir e compartilhar suas aflições. Sentindo minha expressão de solidariedade, meu amigo ficou aliviado e deitou falação em um ritmo tão alucinante que quase me perdi com a rapidez das suas frases. >>>>>

Buteco512: O Restaurante Girassol

Comer na Feira livre é uma arte e garimpar esses oasis da comida caseira é um ofício bem prazeroso, confesso. Tem quem torça o nariz para lugares que não tenham luxo, mas, pra mim, o verdadeiro luxo está em se comer bem.

Fotos: Léo Tavares | Buteco512

Léo Tavares | Buteco512

Sob indicações de alguns dos meus seguidores (@buteco512, segue lá vc tbm) fui conhecer o Restaurante Girassol, mais conhecido como Restaurante de Creusa. Vou pedir desculas por não lembrar qual o box, mas fina no meio do Ceasa (Centro), ao lado esquerdo de quem sobe, vizinho ao Galego que vende raízes e pinga da Chapada. Tem erro não..hehe. Cheguei, perguntei como funcionava o pedido e pedi uma carne de panela, já o meu amigo pediu uma buchada.

Vem feijão (caldo ou farofa), arroz, abóbora, macarrão de panela e uma saladinha. Tem outras proteínas (frango, fígado…), mas a carne de panela é um dos meus pontos fracos e se o lugar não sabe fazer uma que preste eu nem como as outras coisas. Me julguem! Esses singelos PFs sairam pela bagaleta de R$12 conto cada. Sabor bem delícia, comida farta e honesta. Super indico. Para os mais famintos… tem o comercial de R$ 15. Gostaram da matéria? Me siga no instagram (@buteco512), tem muita dica legal por lá. Até a próxima. Forte abraço!

Jorge Maia: A vida na cidade

Foto: BLOG DO ANDERSON

Jorge Maia | Professor e Advogado | maiajorge@yahoo.com.br

Eu era menino, e não faz muito tempo, e me lembro de uma novela transmitida pela antiga Rede Tupi. Era o início da década de setenta do século vinte. Confesso que assisti a alguns capítulos. Sei que há uma versão mexicana com o mesmo título, mas desconheço o seu conteúdo. A nossa versão, brasileira, cuida da história de alguém que muda para uma cidade grande e enfrenta todas as dificuldades que as cidades apresentam. Os personagens são sempre surpreendidos pelos problemas comuns, como se a cidade fosse planejada para atormentar a vida das pessoas. >>>>>

LUTO: Alba Rejane Souza dos Santos, aos 39 anos

Foto: Reprodução | Facebook

Vítima de um grave acidente de trânsito, faleceu aos 39 anos, Alba Rejane Souza dos Santos. Nascida em Itabuna, Alba Santos morava em Guanambi, onde era funcionária do Centro Universitário UniFG. Pelas redes sociais e também em contato telefônico com o BLOG DO ANDERSON, diversas pessoas manifestaram pesar pela morte prematura. Em nota, o Centro Universitário UniFG se manifestou sobre esse fato. “Consternados pelo falecimento de Alba Rejane Souza dos Santos, informamos que o velório acontecerá na Funerária Pai-Bahia, em Guanambi, a partir das 18h desta terça-feira (14). O sepultamento está programado para acontecer nesta quarta-feira (15), no cemitério local, às 9h. Alba Rejane era funcionária da UniFG desde junho de 2010, onde atuava na Gerência de Crédito. Cursou Direito em nossa instituição, e desenvolvia um trabalho notável, sendo querida por colegas de trabalho, professores e alunos. Alba faria 40 anos no próximo dia 29/08, e deixa dois filhos. O Centro Universitário UniFG decretou Luto e suspendeu as atividades acadêmicas e administrativas nesta quarta-feira. Nos solidarizamos e prestamos nossas condolências aos familiares, amigos e colegas de trabalho, neste momento de saudade e despedida”, diz a nota.

Buteco512: Bar e Restaurante Cheiro e Sabor, no Mercadão

Fotos: Léo Tavares | Buteco512

Léo Tavares | Buteco512

Dona Railda e Dona Edna são as responsáveis pelo local. Você percebe o esmero delas ao reparar nas panelas ariadas penduradas na parede. O Ambiente é limpo, mas não tem mesa (deixe de frescura), lá a gente come é no balcão, um do lado do outro, como em uma grande confraria.

Pedi um Carneiro ensopado com direito a tudo… inclusive pirão. 100or do Céu, tava de comer rezando! Tudo fresquinho, saboroso e farto. Lá também tem uma pimenta caseira que é uma diliça. Já voltei mais 2 vezes..hehe!  >>>>>

Academia do Papo: O que foi feito daquele povo?

Foto: BLOG DO ANDERSON

Paulo Fernando de Oliveira Pires | Professor | paulopires@uesb.edu.br 

Essa pequena crônica parece um eco da bela canção de Elomar Figueira, onde o Grande Bardo dos Sertões do Mundo com voz plangente-primeira, pergunta: “Onde estão meus companheiros, que cantavam aqui mais eu?”. Isso mesmo! Essa nostalgia, ah, essa imensa nostalgia originada pela saudade dos que não vejo há tempos nos conduz à mesma pergunta: “Mas cadê meus companheiros que cantavam aqui mais eu?”.  Para onde foram? Onde estão? Ou será que não estão mais aqui? E os seus sonhos? O que será que aconteceu? Será que conseguiram realizar seus sonhos? Meu Deus … Quanta saudade! >>>>>

Guilherme Menezes: Amigas e amigos, uma breve reflexão

Foto: BLOG DO ANDERSON

Guilherme Menezes de Andrade | Médico | gmenezesandrade@gmail.com

As eleições gerais de 07 de outubro deste ano trazem a oportunidade de o Brasil retomar o caminho de desenvolvimento econômico e social que vinha construindo – e que foi interrompido pelo golpe, gerado por interesses vergonhosos contra a democracia e, principalmente, contra o povo brasileiro. Para tanto, anularam o voto de mais de 54 milhões de eleitores, afastando da Presidência da República Dilma Rousseff, para, em seguida, começar o desmonte de importantes políticas públicas e programas sociais, levando grande parte da população a encarar mais uma vez a triste realidade da fome e suas consequências. >>>>>

Academia do Papo: Deusdete Dias, Thomas Hobbes e Deus

Foto: BLOG DO ANDERSON

Paulo Fernando de Oliveira Pires | Professor | paulopires@uesb.edu.br 

Gosto do filósofo Thomas Hobbes principalmente quando ele fala que para falar com Deus é necessário alguma cerimônia. Vejam no Leviatã. Algumas pessoas detestam quando ele ironiza sobre isso…. Eu, ao contrário, acho uma grande sacação de Hobbes… Na Ironia do Filósofo vejo, de forma subjacente, que a alusão à presença dos Santos como mediadores é mais que justa….. Leia a íntegra.

Buteco512: Na Cumbuca

Léo Tavares | Buteco512

Amo aipim!

Cozido, frito, no escondidinho, com queijo, com carne… aipim é vida. Eis que recebo via direct no instagram (inclusive, me sigam: @buteco512) um convite do pessoal do Na Cumbuca e o carro chefe deles é o “Na cumbuca” que se assemelha a um escondidinho, pensei eu em minha ignorância. Ledo engano…lóooooogico.

O mais engraçado é que 3 pessoas tomam conta do IG e eu conversei com as 3 como se fossem uma só (Sense8 ?) e isso deu muita confusão…hehe. Depois de identificado o ruído, marquei o dia da visita. O Nacumbuca era todo virtual, apenas delivery, mas por insistência dos amigos o Cesar e resolveu abrir as portas, que fica na Siqueira Campos, 409, antes do sinal da Chame-chame, ao lado da lotérica…tem erro não.

Bom, enquanto aguardávamos conversei com a Rose, esposa/sócia do Cesar, que estava na cozinha preparando o carro chefe da casa o NaCumbuca com Entreveiro, que é um mix de carnes e temperos, feito no disco de arado. Muito saboroso. Leia a integra.