Mestre

No lançamento do livro “A Conquista dos Coronéis”, do escritor conquistense Durval Menezes, que aconteceu na tarde dessa sexta-feira (12), na Casa Memorial Regis Pacheco, o poeta Carlos Jeovah encantou o público com a declamação do poema “Mestre” de autoria do poeta itapetinguense Camillo de Jesus Lima.


Durval Menezes lança “A Conquista dos Coronéis”

O escritor conquistense, Durval Menezes, lançou no final da tarde dessa sexta-feira (13), o livro “A Conquista dos Coronéis”. O evento que aconteceu na Casa Memorial Régis Pacheco, contou com as participações especiais do poeta Carlos Jeová, da cantora Rita Pithon e Dani do Peti, além ainda dos maestros João Omar e Carlos Porto. O Blog do Anderson esteve presente e registramos as fotos abaixo.


Casa Memorial Régis Pacheco ganha piano

Foto: Blog do Anderson

A Casa Memorial Régis Pacheco conta agora com um piano profissional. A chegada do instrumento é um meio para valorizar os pianistas da cidade e até mesmo os músicos que já fazem parte do cenário nacional. O coordenador de Eventos, Nagib Barroso, falou sobre a importância da iniciativa. “A cidade é um celeiro de grandes artistas e músicos. Esse piano possibilitará que aconteçam concertos e saraus e é mais uma prova de que a Prefeitura está sensibilizada em apoiar os eventos culturais da cidade, além de levar música de qualidade a todos”. Nesta sexta-feira (12), o piano foi um dos instrumentos que fizeram parte da solenidade de lançamento do livro “A Conquista dos Coronéis”, do escritor conquistense, Durval Menezes. O maestro Carlos Porto encantou o público.


O Memorial Regis Pacheco

Uma matéria exibida na TV Sudoeste, destacou o Memorial Regis Pacheco, um dos marcos da história de Vitória da Conquista. Quem visita o Memorial encontra não somente a história política da cidade, com quadros de todos os que governaram Vitória da Conquista, intendentes e prefeitos, mas também o trabalho de artistas contemporâneos em pinturas e madeiras. É possível ainda observar móveis antigos, alguns fabricados e utilizados por volta de 1890, como uma escrivania em madeira utilizada pelo ex-governador da Bahia Régis Pacheco. A reportagem de Judson Almeida e Humberto Filho.